domingo, abril 25, 2010

ASAS de: E. Montepuez

14. ASAS

Esta noite sonhei ser escritor. E no meu sonho eu era o centro de todas as atenções. Escrevi um único livro que falava de pessoas e dos seus laços que as ligam à terra. Nesse livro, recheado de sensações, alguns dos personagens eram inspirados da vida real, outros da vida virtual e sobravam páginas para colocar alguns amigos da minha vida do imaginário.
O livro tinha o título, pequeno, de ASAS. Pequeno por serem quatro letras apenas. Mas, na verdade do meu sonho, este título, para mim, era enorme.
Com ele consegui voar. Regressei à minha primeira escola, onde aprendi a escrever, para junto dos meus amigos de infância e alguns familiares pudesse falar do meu sonho da escrita. Senti Amor nos rostos dos presentes, vi a Saudade estampada nos olhares e as lágrimas que se perderam eram de uma Alegria incontida numa mensagem sem palavras mas singela de que, os Sonhos devem ser tentados até serem realizados. E esse era o segredo do meu livro: ASAS para voar, eram feitas de Amor, Saudade, Alegria e Sonhos.
As palavras, neste livro de sonhos, transmitiam fielmente as sensações que sempre senti, aqui e ali, e que agora se realizam, através do livro, no meu mundo de sonhos. Este era o meu único e majestoso desejo: ser escritor.
Ser o escritor que com as palavras juntava as pessoas. Que fazia renascer esperanças, que as envolvia em projectos conjuntos por um mundo melhor para todos.
Quando o dia raiou, despedi-me do sonho com a certeza de voltar a encontrá-lo, com a esperança de voltar a reinventá-lo, e sorri para mais um domingo.
Hoje, durante todo o domingo, vou viver os resquícios deste sonho, aqui e ali, para alimentar a esperança que sobrevive dentro de mim.
Que o amanhã me traga a realidade deste sonho!

De: E. Montepuez
Retirado em: http://montepuez.blogs.sapo.pt/

1 comentário:

Olhar Meu disse...

E eu voei até lá...Bjo

E boa semana de trabalho.

Fatima