quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Amor Impossível


(Foto de: Julio Segura Carmona)

São lágrimas que solto por saber deste meu amor impossível. Lágrimas de alegria por saber que o amor é meu e que, apesar de impossível, estará sempre ao alcance do sonho e do desejo por cumprir…
E o mar com o seu sorriso de prata é meu aliado, meu amigo, para harmonizar os meus momentos de fim de tarde em que me encontro na areia da praia deserta e desejo nadar até ti. É através das ondas sorridentes que o mar me acalma, e me deixa inerte ao pensamento fugaz da loucura do acto por realizar… Volto sempre!
Sei que outro dia virá feito de ilusões e de argumentos, para que o mundo nos afaste, sei que o meu caminho é feito das peripécias loucas e dos trechos perdidos do meu recanto chamado realidade, e ainda assim penso em ti.
Tão longe que estás, e tão perto que te sinto, nessa magia do amor que construo como castelos de areia à beira-mar, num desafio, para que mandes uma onda maior e os destruas, chamando-me assim à minha dura realidade…
E a teimosia provoca-me, faz-me voltar em cada final de tarde para construir de novo os castelinhos de areia húmida. Essa mesma teimosia que vai de mão dada com a esperança, que assim aproveita para imaginar a tua chegada por entre as alegres ondas e, num pensamento secreto, chega a imaginar que vens naquela onda maior.
E se os castelos são de areia, os desejos são de vento, e o meu amor é bordado pelo sol que, ao longe, se despede e vai dormir. O mesmo sol que aquece esta relação inexequível.
Anos passaram e a fonte das minhas lágrimas nunca secou… A minha pele queimada do sal e do vento anunciou o meu desespero de uma vida solitária. Os cabelos brancos escondidos debaixo do boné de marujo são como sementes da minha preocupação por não saber de ti…
Nem por uma única vez apareceste!
E tanto que sonhei com esse momento. Estudei as palavras, e fiz frases para te oferecer…
Fiz planos… uma casa nessa praia deserta ou na ilha solitária do mediterrâneo.
E tu, sereia do meu imaginário, nunca vieste…

11 comentários:

Vanda Paz disse...

Querias... uma sereia... então não?

Está lindo.

Beijos

Pedra Filosofal disse...

Num ou outro momento da vida temos amores assim. Impossíveis. Ou que nós achamos impossíveis e por isso não tentamos sequer passá-los à categoria dos possíveis.

Como sempre fizeste-me viajar no meio das palavras e sentir exactamente o que descreves.

Um beijo
Stone

PS - acho que hoje ainda não te disse que gosto de ti. Mas digo agora. Gosto de ti. Muito mesmo

T u r t l e M o o n disse...

Adorei!Por um simplesmente, fluido nas palavras e intenso nos sentimentos que expresso.Só acho uma coisa: é que essa sereia, pata além de existir, já te (re)visitou e, por isso, a tua essência de "peixe" se revela assi, tão poética, original e espontânea.Bjs

Vera disse...

Há amores impossíveis ao longo da nossa vida, mas que teimosamente queremos acreditar na sua possibilidade concreta.
Mas sem dúvida que um amor impossível pode ser, poeticamente falando, muito inspirador, porque seja num poema, seja numa prosa, fica aquela marca de um amor que é quase sagrado.
Transmites muito bem, por belas palavras, o que eventualmente se sente nessas circunstâncias, e fazes os leitores ficarem com um nó bem apertado no peito. Uma excelente capacidade de escrita, sem dúvida Paulo!
Parabéns pelo brilhante texto!

Beijo grande

Fly disse...

Paulo...
Encanta-me a forma como te exprimes, se soubesses quantas vezes me revejo no que escreves...

Sabes, o Amor por mais impossível que seja, nunca deixará de ser sentido, porque ao nosso coração tudo será sempre permitido.

Assumo... Sou fã do que escreves!

ELISABETH COIMBRA disse...

Nossa, Paulo abri seu Blog por causa do título Amor Impossível, é o que estou vivendo, estou deveras emocionada, encantada,lindo!, lindo e doído... será que posso copiá-lo, é tudo aquilo que eu gostaria de por no papel e não consigo,voce me autoriza postá-lo em meu blog com os devidos créditos? Não precisa nem publicar este comentário, Se você não quiser, mas eu gostaria muito que você me desse a autorização. Sou uma pessoa simples que adora poesias.Obrigada, por este presente,vou visitá-lo sempre.
Bjossss

Andrea disse...

Li e adorei.
Quantas vezes nos sentimos dessa forma e não somos capazes de nos expressar, não é mesmo?

Anónimo disse...

Lindo, perfeito.
a história da minha vida..
Me fez chorar.

worstenemy disse...

Confesso que até me vieram lágrimas aos olhos ao ler um texto tão lindo e cheio de sentimentos.Talvez por coincidir com aquilo que sinto e vivo neste momento.Talvez por ver que não estou sozinha no mundo dos amados e dos perdidos de amor.
Será que se alguém lesse isso,saberia interpretar aquilo que sinto sem me sensurar...criticar ou desprezar?
Céus como eu queria que a voz do coração gritasse com a mesma intensidade com que ele bate :(

coração apaixonado disse...

Paulo...Paulo...meu querido...tuas palavras são musicas aos meus ouvidos...estou vivendo um amor impossivel...sou casada e descobri que o amor q busquei a vida toda nao é o meu marido...e o encontrei ...tbm casado...e a reciproca é verdadeira e com uma intencidade que foge as explicações...sempre entro no seu blog pra buscar a inspiração que muitas vezes me falta...tú tens uma alma maravilhosa...tens um dom Divinal...pois tens amor...e o amor é o maior dom que Deus nos deixou...emociono-me ao perceber que no mundo ainda existam pessoas de alma sensiveis...que acreditam no amor...meus parabéns...serei sua leitora acidua...

No name disse...



Olá Paulo,

A entrada no blog remete-nos para este texto e ainda bem :)
Estive na dúvida entre comentar ou não o fazer, não porque não houvesse nada a dizer, mas sim por haver tanto que não o conseguirei fazer.

Ainda assim, fica uma mensagem simples de parabéns: pela escrita, pela sensibilidade, pelo sentimento.

Voltarei, claro!


os