sexta-feira, fevereiro 01, 2008

Já te disse hoje que gosto de ti?


















(Foto - You Are Not Alone de: Mehmet Ozour)

Um café! Acordou-me devagar, ainda não refeito de uma noite dormida à pressa. Dei os primeiros passos cruzando-me com pessoas conhecidas, que, alegremente, me davam um inusitado “Bom – Dia”. Respondi a todas com um gémeo cumprimento. Ficou-me a energia, revigorante, das pessoas com que me cruzei!
Meditei… antes nunca tinha pensado nesses pormenores, levava a vida a correr, num contra relógio contra o tempo, o meu tempo, em suma, contra mim.
Deixava passar os minutos, sem reparar neles, apenas reparava em algumas horas porque a sociedade me habituara aos horários preestabelecidos…
Não era eu! Não o verdadeiro eu…
Mas naquele dia, tudo seria diferente, mesmo que o meu exterior não o revelasse, mesmo que o meu rosto não o expressasse, era um dia diferente.
O dia da consciência! O dia que quebrava a barreira das oposições e conseguia entrar na essência do meu Ser, concedido pelos meus semelhantes que comigo conviviam diariamente.
Um café, mais um, para competir com tamanha alegria que sentia. Tinha-me revelado. Finalmente tinha entendido o sinal…o simples sinal de que podes ser tu mesmo se assim quiseres!
De alegria incontida, procurei-te, sim a ti que lês as minhas singelas palavras, a ti e a ele, e a ela, pela mensagem que não cheguei a mandar e pelo telefonema que pensei fazer, pelo e-mail que ficou por escrever, pelas várias possibilidades… mas acredita que te procurei, sei que sentiste essa energia e não ligaste, um arrepio, um vento suave ou um calor passageiro, era eu a tentar abrir a linha da nossa comunicação para te questionar, livre e abertamente, sem malícias ou secretos desejos, sem que fosse preciso uma resposta pronta e composta… e no tempo livre que gastei a viajar pelas pessoas, uma a uma, adornando as suas qualidades, deixei-me ficar aqui, sentado neste banco de jardim, etéreo, de lápis na mão a escrever no meu caderno dos desejos… vezes sem conta a frase repetida na minha mente…
Já?
Já te?
Já te disse?
Já te disse hoje?
Já te disse hoje que?
Já te disse hoje que gosto?
Já te disse hoje que gosto de?
Já te disse hoje que gosto de ti?
Já te disse hoje que gosto de ti? Já te disse hoje que gosto de ti? Já te disse hoje que gosto de ti?
E o meu pensamento, afectuoso, sussurrou ao teu ouvido…

11 comentários:

Pedra Filosofal disse...

Já te disse hoje que gosto de ti? muito? mesmo?

Sem dúvida... és o rei das palavras!!!!

Beijos grandes

Vera disse...

Lindo!

Beijo

Encontro de Olhares disse...

Adorei este texto. A parte final, então... Gostei mesmo!

Grande beijo da amiga
Manuela

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Paulo, adorei o texto.
Bom fim de semana.
Beijinhos,
Fernandinha

Rosa Maria Anselmo disse...

Olá Paulinho
Que belo texto. Passamos pela ruas da vida e não damos conta, mesmo, nos pequenos mas intensos pormenores que dão cor e significado ao verdadeiro Viver...
Ouvi aqui o teu sussurro e por telepatia espero que escutes: Já te disse hoje que gosto de ti?

jinhos
Rosamaria

Vera disse...

Já te disse hoje que gosto de ti?
E o meu pensamento, afectuoso, sussurra ao teu ouvido... Gosto, gosto, gosto muito de ti!

Um beijo enorme

impulsos disse...

Já te disse hoje que gosto de ti?
Não!
Pois... bem me parecia.
Mas gosto sim e muito!
Tanto de ti pessoa, como de ti, escritor de poemas e belos textos como este!

Beijo

T u r t l e M o o n disse...

adorei o ritmo e a msg desta linda prosae a frase final ficou espectacular!bjs

Djinn disse...

É de facto belo, sobretudo porque lidas as palavras, reflectem a alegria da alma...

beijinhos

Laura Gil disse...

Lindo! mesmo muito lindo.

Fiquei encantada

Bjs

Fly disse...

:-)

Este texto mudou o meu dia a primeira vez que o li e fez-me sorrir agora, quando o voltei a ler.

Tomei a liberdade de visitar a tua Casa.

Belo poema!!!