quarta-feira, maio 13, 2009

(do meu ventre nascerão rosas)

flores
de diversas cores
nascerão
do meu ventre.

entre poesias
rosas aromatizadas
nascerão do mesmo ventre
de um poente
deslumbrado.

rosas flores ou poemas
de um ventre exposto
num parto tónico
entre espadas e pensamentos
nascerão.

do meu ventre,
nascerão acácias
lírios
cravos
nascerão então
as flores de um tempo.

serão rosas?
de um ventre meu?

(nascerão epopeias em flor
do meu ventre rosa-choque
da dor,
de nunca existir).

2 comentários:

Um Olhar disse...

Por vezes nascem flores no meio do nada(...)
Assim foi conhecer-te.

Adorei...

Mil beijinhos

Fatima

Um Poema disse...

....

E foi muito bom chegar cá.
Não sendo, embora, muito o tempo, será um prazer poder vir até aqui.

Obrigado pela visita e pelas palavras amigas.
Foi uma honra enorme ter ontem dois poetas partilhando comigo o momento.

Um abraço