terça-feira, dezembro 04, 2007

Lua Nua…


Noite escura
na terra de ninguém
onde os caminhos se escondem…
Noite de outrem
que sempre dura
na viagem de alguém…

Um rio calmo
em silêncio infatigável
visto do alto
pela lua grande
é terno
e acariciado
num caminho feito
para que possas passar…

Vejo o teu desenho
estampado no rosto desse rio
iluminado,
vejo esse corpo
que chega devagar…

Vejo o preto da noite
e o branco do teu amor!

Resta-nos a cor
rosa…
roubada no canteiro
da nossa dor!

5 comentários:

Vanda Paz disse...

Subtil, sensual, lindo...

beijo

Vera disse...

Belo poema Paulo!
Gostei muito desse desenho estampado no rosto do rio, do preto da noite e do branco do amor!

Resta a cor rosa... que é linda!

Beijo grande

Maria disse...

Gosto do corpo a chegar, devagar.......
O amor é azulinho....

Beijo

Anónimo disse...

Onde os caminhos se escondem há sempre um desenho estampado nos muros que se mostram em esquinas de amor...

Muito bom, este teu poema!

Beijinhos
Manuela Fonseca

T u r t l e M o o n disse...

lindo, c um toque de languidez!adorei as 4 ultimas estrofes