sábado, março 21, 2009

Hoje Procuro-te

Não te preocupes
(ficarei bem)
que na minha busca…
perdi-me,
mas voltarei a encontra-me.
As essências dos sorrisos
famintos,
fabricam paladares exóticos
que aquecem a alma dos desejos.
Não te preocupes
com a minha procura
(ficarás bem)
entre o desnorte e o reencontro
há um sabor apelativo
que segrega as vitaminas
com que sobrevivo
neste deserto do pensamento.
Ando perdido neste marasmo
que enlouquece as noites sedentas
do teu suposto aconchego.
Há um frio que indica a minha solidão
na metade de mim que desiste
e sem que peça, a outra metade,
na procura, agasalha-me,
envolve-me… para que não morra!
Hoje procuro-te,
bem dentro de mim
sem que assuma qual das partes eu serei
ou se por um todo morrerei…
Não te preocupes
(ficaremos bem)
ao reencontrar-me
assumirei os destinos do meu corpo
olharei em frente
e guardarei o passado até esquecê-lo.
Hoje procuro-te,
amanhã encontrarei algum sinal
alguma resposta!

3 comentários:

Vera disse...

Não te preocupes!
Tudo ficará bem...

Adorei o poema :)

Beijinhos Poeta

Marta Vasil disse...

Passe pelo meu blogue. Tenho miminho para si - "Vale a pena acompanhar este blogue"

Beijinho

MV

absyntovoce disse...

Paulo,

estamos numa eterna busca, nem sempre achamos o que procuramos, às vezes, surpreende-nos o que encontramos...Numa dessas buscas encontrei sua poesia!
Um achado surpreendente!
Abraços,

kryss