sexta-feira, agosto 08, 2008

Hoje não...


(Foto de: Piotr Kowalik)

Hoje não vou apoquentar as palavras, mesmo que o teu sorriso não cesse, ou que te laves em lágrimas não permitirei que algo aconteça ou que tudo aconteça.
Hoje não vou apoquentar as palavras, ficarei fechado no silêncio dentro mim, de olhos vendados como um prisioneiro de uma guerra que nunca existiu…
Hoje não vou apoquentar as palavras, não me peçam nem me gritem, porque não me importa, hoje nada me importa mesmo.
Desculpem! Não vos direi nada, nem mesmo que, hoje não vou apoquentar as palavras…

5 comentários:

Anónimo disse...

Que importa as palavras, se o segredo está na melodia.
Bom final de semana!
Gbjo.

Vera disse...

Palavras quase de revolta...
Mas tu jamais apoquentas as palavras. Elas pertencem-te!

Beijo

Marta Vasil disse...

Como podem as palavras sentir-se alguma vez apoquentadas por quem as usa numa tão linda dança de emoções e as trata com tanto carinho?
Abraço

MV

Ricardo Pulido Valente disse...

mt bem escrito,paulo;)

Pedra Filosofal disse...

Para quem não queria dizer coisa alguma, acabaste por dizer bastante...