sábado, julho 28, 2007

A Morte Veio Buscar-me…

Na escuridão da noite vieste-me visitar… para me levares!
Morte vestida de fantasma, vestida de um negrume surpresa que tocou no meu rosto e acordou o meu sonho de paz… sem tão-pouco te importares, sem tão-pouco saberes que iria tentar fugir-te!
Vesti a minha fuga de um verde pálido recheado de aroma de esperança e escondi-me apressadamente num beco da solidão do momento, trazendo apenas o amor representado na pessoa e na vida… era tudo o que tinha e mais o pânico de partir assim sem me despedir!
Não sei se consegui iludir-te ou se tiveste pena de mim, porque ainda não foi nesta longa noite que me levaste… não sei se passaste por mim só para me assustares deixando um expressivo aviso, que relembra a verdade imutável em que um dia vai ter que acontecer, que vou ter que ir contigo…
Pouco sei de ti… mas já percebi que vestes mil caras e andas por aí!

Um dia, alguém dirá que a morte veio buscar-me… porque morri e alguns vão chorar, outros vão recordar os momentos que aconteceram e eu estarei algures ou em lugar nenhum a sorrir de saudade porque deixei tudo por aqui e porque deixei quase tudo de mim em cada dia que vivi!

2 comentários:

carla granja disse...

olá paulo! pois é! eu acredito k se tivemos a nossa hora pa nascer tmb vamos ter a nossa hora para a morte nos vir buscar,esteja onde a gente tiver nao vale a pena a gente fugir.se esconder,pois ela nos vai encontrar para nos levar e aí é k eu nao sei para onde eheheh.. eu ja tive a morrer e muitas vezes nao sei como escapei ou melhor sei,não era a minha hora. ja cheguei ao hospital com 8oo mml de sangue arrebentado dentro de mim fui operada 5 horas e até hoje os medicos naosabem como sobrevivi. mas enfim , nao venho falar de morte e sim de vida pois hoje o meu sobrinho faz anos e era pa ires dar uma olhada no poema k fiz para ele e para dizer se gostas.
bjo
carla granja

Vanda Paz disse...

Este texto está fantástico...

Ainda bem que ela não te levou para continuares a escrever para nós.
Adoro ler o que escreves.

Beijos