sábado, junho 21, 2008

Embarco Na Liberdade Dos Nossos Sonhos


(Foto de: Javed Chawla)

Já nem sei o que é escrever! Já não escrevo as palavras com que me deito e com as quais, as mais promissoras, acordo ancorado. Há uma separação entre as palavras e os sonhos numa liberdade assumida e por isso consciente. É esse o meu acordar. A separação. A distancia de um sonho. Ainda assim, continuo a sonhar, construindo imagens dos meus desejos e sem que as partilhe, faço, de cada minuto da minha vida, um minuto de alegria e esperança.
É assim que viajo. Em cada sol que adormece, ou em cada luar que espreita eu lá estou disposto a deixar-me ir… embarco na liberdade dos nossos sonhos porque esse gesto me deixa uma sensação de prazeres ilimitados, de conquistas medievais, ou de voos ímpares que só a imaginação ou o desejo conseguem fazer viver esse sentimento tão próprio.
São sonhos! Nossos, da liberdade, de querer ser um eterno aprendiz da condição humana e emanado do nada procurando conquistar o mundo da felicidade.
Morro livre, exausto, de procurar cada momento recheado de pequenas coisas, mínimas, que nos façam sentir a razão da nossa presença aqui, ali ou em qualquer lugar que seja.
Por ora, é na viagem que vou, talvez um dia volte e vos anuncie que a perfeição é possível e que o caminho é feito de pequenas conquistas que nos engrandecem a alma num desafio, minuto a minuto, a medida de cada um…
Talvez volte, ou talvez não, na liberdade dos nossos sonhos estarei em qualquer lugar desde que seja feliz e lá esperarei sempre pela tua presença…
Agora, num aceno, em que me despeço e em que sinto o barco partir, inicio mais uma louca viagem, com a esperança de te encontrar, já a minha espera, por lá, nessas terras do paraíso. Sem tempo para um segundo aceno… adormeço.

4 comentários:

Pedra Filosofal disse...

a vida é mesmo feita de pequenas conquistas, que nos ajudam a crescer como individuos.
Um excelente momento, Um daqueles textos que devem ser lidos e relidos de modo a se apreender tudo o que nos transmite

Vera disse...

Gostei muito deste texto. E sim, é verdade... gosto sempre do que escreves, porque tens uma qualidade incrível.
Há uma diferença entre a realidade e o sonho, que vamos conseguindo gerir melhor com a maturidade...

"Por ora, é na viagem que vou, talvez um dia volte e vos anuncie que a perfeição é possível e que o caminho é feito de pequenas conquistas que nos engrandecem a alma num desafio, minuto a minuto, a medida de cada um..."

Excelente Paulo!!!

Mil beijos

Helen De Rose disse...

Ainda bem que temos essa possibilidade de sonhar e navegar nesse infinito oceano de sentimentos, nas embarcações da presente jornada...e se um aceno meus olhos conseguirem presenciar...então deles sairão os brilhos das estrelas...é sempre um prazer singular, ler vc...

Rita disse...

"São sonhos! Nossos, da liberdade, de querer ser um eterno aprendiz da condição humana."

LINDO!

"Sem tempo para um segundo aceno… adormeço."

E ao acordar pergunta-se:

Onde vogaram os meus sonhos?

Por aqui, por ali
Para cá, para lá…
Vogaram dentro de mim.

Parabéns por este rio de palavras a correr, ora de forma inquietante, ora de forma calma.

Rita Carrapato