quarta-feira, junho 11, 2008

Momento


(Foto de: Salih Güler)


Toco nos teus cabelos de solidão
com os meus dedos enfeitiçados de amor
procurando sentir a tua candura
e encontro-te, inserta, coberta de paixão
postada nua e incrivelmente pura
liberta, assim, de qualquer ignóbil dor.
Toco no teu rosto cândido
de uma imensa expressão
reflectido, por vezes, perdido
outras vezes lavado em emoção.
Toco no teu corpo sedento
construindo o nosso momento
que guardaremos no baú da recordação.
Toco num só corpo onde cresce o querer
confundo os corpos unidos pela vida
somos um só para amadurecer.
Cruzados num tempo da razão
descobrimos um só caminho
e é nesse momento que o percorremos devagarinho.

7 comentários:

Pedra Filosofal disse...

Um poema a ler devagarinho... com a paixão que foi escrito.

Um Poema disse...

...
Somos um país de poetas, sem dúvida.

Obrigado pela visita.

Um abraço

Anónimo disse...

Adorei!
Tão verdadeiro...
Continua, Sempre assim lindo por dentro e por fora...És único...
bjs

Anónimo disse...

ADOREI A SUA VINDA A NOSSA ESCOLA,E ANDO COM O SEU LIVRO DE BAIXO DO MEU BRAÇO PARA PODER SONHAR COM PALAVRAS«TUDO O QUE TIVER DE ACONTECER SÓ AMANHÃN O DIRA«

Vera disse...

Devagarinho... e muito, mesmo muito bem escrito!

Beijinhos

Vera disse...

Devagarinho... e muito, mesmo muito bem escrito!

Beijinhos

Manuela Fonseca disse...

Belíssimo "Momento"!

Beijo de passagem*
Manuela