domingo, junho 01, 2008

Lado a Lado


(Foto de: Emil Schildt)

São como sonhos, os momentos em que penso estarmos lado a lado. Flúem com uma naturalidade tal que até acredito serem a minha realidade do momento.
Tenho argumentos, tenho desejos… mas, como posso domina-los com a mestria que julgo ter, deixo-me diluir pelas sensações sentidas. Oh! E é tão bom…
Mas a realidade é outra, bem mais cruel, porque a distância do meu querer ao teu querer é uma ponte imersa, por vezes, na solidão dos espaços desta vida.
Mas há sempre uma meta que nos faz divagar, que nos faz acreditar. Tornar realidade, este nosso “lado a lado” e, assim, desfrutar dessa magia já decifrada.
É acreditar no nosso “Eclipse do Amor” para que, lado a lado, possamos fugir para o nosso mundo de sentimentos expostos e degustados.
Eu serei o Sol e tu a Lua! Esperemos por esse momento, oportuno, de estarmos lado a lado para fugirmos…
Por ora, e em sintonia, mantemo-nos lado a lado, através do elo que nos liga e que permanece invisível. Silêncio! Que as almas adormeceram…

5 comentários:

Pedra Filosofal disse...

Engraçado como funcionam estes elos que ligam algumas pessoas duma forma que, às vezes, nem elas entendem. Amor? amizade?

Muito bem!!! muito bem mesmo!

Vera disse...

Um texto lindo Paulo!
Tu és realmente um Sol! Um Sol lindo, quente e brilhante! Uma estrela maravilhosa, um astro-rei!

Beijo grande

Mar disse...

excelente momento *
escreves como quem come, necessidade absoluta.
Um beijo em ti*

Vanda Paz disse...

Nem comento, para não dizer asneiras... apenas digo que gostei, mas que gostei mais do sentimento que o fez escrever...

beijos

Anónimo disse...

The photo is very beautiful, I imagine the face of she, and I believe than she has a lovely name: Sophie, maybe...
BCN