sábado, maio 31, 2008

Alma de Criança


(Foto de: Asik asik)

Alguém me quer que me ama e nem sei, nem preciso de o saber porque recebo esse amor constantemente sem que o peça.
Alguém olha por mim, sem que veja, mas nem preciso de ver, basta-me sentir.
Sou o menino traquina que brinca na calçada de sorriso aberto e espontâneo, sou o inventor das casas feitas de terra e dos caminhos da minha imaginação. Brinco porque a minha alma é de criança…
Invento personagens do nada e num todo desafio-as para jogarem comigo, com a única condição, de, no fim, ser eu a ganhar…
Derroto todos os imprevistos, visto a capa do salvador do mundo, ergo a espada do príncipe perfeito em frente à menina dos meus sonhos e imagino as palavras que guardo no meu coração, e que nunca terei a coragem de as dizer.
Sou o jogador que ganha sempre, sou aquilo que quero, quando me apetece e só assim esqueço as horas que me fogem e que não as consigo agarrar.
Queria que os dias não tivessem fim… para que as minhas brincadeiras nunca acabassem. Queria que a noite se escondesse do meu bairro, para que não tivesse que voltar para casa para adormecer embalado na esperança de outro novo dia…
Nunca me canso de brincar dentro desta alma de criança!
Queria tanta coisa, que, num todo, se resume a uma insignificância, impossível de alcançar… Queria, apenas e só, nunca crescer, ser eternamente esta criança que sou, quando brinco com as minhas coisas no meu mundo. Queria ser sempre olhado, pelos olhos, afáveis dos crescidos e sentir o sol como companheiro deste meu mundo inocente.
Um dia, serei crescido e, então, olharei com saudade para este tempo para relembrar os momentos em que fui verdadeiramente feliz.

3 comentários:

Vera disse...

Serás sempre esse menino de sorriso aberto e verdadeiro e poderás sempre brincar e ver o Mundo sorrir-te através dos teus sonhos!
Ah! E serás sempre o Príncipe Perfeito! Com essa escrita e esse coração tens dúvidas?

Beijo grande

Pedra Filosofal disse...

Apesar de, quando somos crescidos, olharmos com saudade para o tempo em que eramos crianças, é também certo que devemos manter o espirito de crianças!!

já te disse hoje que gosto muito de ti?

Paulo Bettencourt disse...

Para sempre criança!