domingo, novembro 16, 2008

"Porque o coração quer ir contra a razão"

Tenho presa a minha vontade
nessa teia surpresa
dos dias esquecidos…
tenho um coração
dilacerado
que no cansaço das noites
adormece nas lágrimas
dos meus sentimentos perdidos…
Rasgo a emoção
que escrevo na folha da minha vida
rasgo-a… em silêncio.
(Só eu sei desse sofrimento.)

Porque o coração quer ir contra a razão
se o meu vazio
é preenchido pelas ausências
pelas tormentas
que marcam um cravado… Não!
Não vás por aí… diz-me a razão
não fiques, não peças… perdão!

Trago no peito
essa pergunta sem resposta
que mata os meus instantes
e apaga qualquer noção
dos meus sonhos…
tenho um coração
que me empurra para o devaneio
em que me sobra a razão
que entremeio me diz… Atenção!

Porque o coração quer ir contra a razão?
Porque a razão não quer estar no coração?

Um dia saberei
as respostas que procuro
sábio momento seguro
que agradecerei…

Tenho presa a minha razão
nessa teia da verdade
dos dias que chegarão
bem adentro da minha realidade…

E o coração caminhará com a razão
de mãos dadas
num mar de felicidade.

Hoje… já espero por ti!

4 comentários:

Marta Vasil disse...

Mais uma vez as suas palavras me levaram a reflectir.

Por vezes o coração e a razão formam um dueto perfeito, se o que mora dentro dele se chama a nossa razoabilidade. E a vida flui com calma.
Se o que mora dentro dele é aquilo que achamos pouco razoável, mas que nos chama constantemente, então, a vida anda aos solavancos.

O que me parece difícil é encontrar o equilíbrio entre a razão e o coração.


Um abraço e uma tarde de sorrisos.

MV

Um Olhar disse...

As tuas palavras dizem muito... Às vezes a razão deve ouvir e seguir o coração.
E outras vezes o coração deve seguir a razão mas, raramente eles entram em acordo...
Muito lindo este teu poema!
Bjos

Fatima

Pedra Filosofal disse...

Sempre ouvi dizer que o coração tem razões que a própria razão desconhece. Dai a razão não estar no coração, e nem sempre o coração quer seguir a razão. Cabe-nos a nós discernir, em cada momento, qual deles queremos seguir... sendo certo que nunca saberemos o que seria, se seguíssemos o outro.

Vera disse...

"Porque o coração quer ir contra a razão?
Porque a razão não quer estar no coração?"

Perguntas sem resposta! Se as descobrires avisa-me...

Beijo grande

(este poema é um dos meus preferidos de sempre)