terça-feira, outubro 07, 2008

Já Está!

Vi a chuva cair. Senti-a. Era amplamente dispersa e parecia não ter fim. Estranho era o que transmitia, como que uma tristeza subtil embutida no nada espalhado pela imensidão de um céu agreste e desprovido.
Ninguém me viu. Não vi ninguém. Mas ansiei por poderes extraterrestres para poder anunciar o desejo final. Queria que essas lágrimas de ninguém fossem direccionadas aos campos de cultivos e assim ajudassem os que da terra vivem. Todos nós, portanto.
Queria que o Sol aparecesse e trouxesse o seu sorriso inconfundível e assim libertasse uma pequena fragrância de alegria trazendo as pessoas de volta a rua.
O que queria mesmo era dar vida a minha aldeia. E na simplicidade do meu querer criava o espaço adequado para as crianças brincarem nos terrenos baldios e os crescidos labutarem na sua vida diária.
Não sei por quanto tempo permaneci nesta condição, mas sei que acreditei que o meu enorme desejo seria o suficiente para mudar o que quisesse. Acreditei de verdade.
Não sei se foi prece. Não sei se o meu desejo foi sentido pelo além. Nem tão pouco quis imaginar o que o meu pensamento poderia ter criado. Apenas abri os olhos e da minha boca soltou-se uma exclamação…
- Já está!
E estava mesmo, como se nunca tivesse mudado alguma coisa. Sem que tivesse sonhado ou imaginado outro cenário, a realidade era a de sempre. O sol sorria e as crianças brincavam em contraste com os adultos que labutavam arduamente sem reparar em mim ou nas crianças. Vi muita gente. E creio que muita gente me viu também.
A minha aldeia era, de novo, a imagem que sempre tinha imaginado.
E com um sorriso do meu tamanho ainda imaginei que um dia faria a experiência de fechar os olhos e gritar…
- Já está!
Sempre quero saber se as coisas funcionam no sentido inverso…

5 comentários:

nas asas de um anjo disse...

já está!+uma prosa de qualidade q nos prende à (tua)leitura.(",)bjs

Maria Liberdade Oliveira dos Santos disse...

Seu blog JÁ ESTÁ adicioando nos meus favoritos. Já estou fã!
Beijos de luz!

Pedra Filosofal disse...

Já está!!!! já está um texto fabuloso, sobre o que gostavamos que fosse... E que podemos, quase quase, acreditar que é.

Pedra Filosofal disse...

Já está!!!! já está um texto fabuloso, sobre o que gostavamos que fosse... E que podemos, quase quase, acreditar que é.

Pedra Filosofal disse...

Já está!!!! já está um texto fabuloso, sobre o que gostavamos que fosse... E que podemos, quase quase, acreditar que é.