domingo, outubro 26, 2008

Relato do Silêncio

Oiço os passos do tempo que caminham no sossego das ausências. Vejo-te como uma imagem que percorre a minha mente até que pára. Que se fixa e que assim perdura.
Sinto a nudez da distância que nos separa. E nos teus olhos, expressivos, leio-te os pensamentos sem que pronuncies uma única palavra.
Oh! Sábia tormenta que estrepita as linhas da imaginação num surdo estremecer.
Quanta hábil doutrina eclode em cada gesto, mesmo que enigmático, que rompe do teu corpo e se instala no meu, quanta?
Sem murmúrios. Que engendram pensamentos surrealistas e se escapam ao nosso desejo. Com murmúrios. Que afoitam a fuga e trazem-te taciturna.
Este é o meu relato da tortura dos meus dias. Dos dias do teu silêncio.
Oiço passos do tempo… que a minha imaginação construiu. E na ressalva do caminho, perco-me, na escuridão dos sonhos e ao acordar imagino-te perto, em silêncio, com esse olhar doce que me ampara e enaltece o anelo libidinoso.
E os dias são noites. As noites são dias. Nesse marasmo dos sons em que só os pensamentos vagueiam…
Faço-te um sinal, uma epopeia de desespero, sem que queiras saber…
Silencio a minha voz ausente e guardo-a no peito.
Todo o tempo em silêncio, não fugiu, perdi-o nas palavras que guardei na timidez. A mesma timidez que feriu o amor dos tempos….
Agora só mesmo o tempo ditará o que será do amor, morte ou vida!
Eclipso o meu desejo sobreposto pelo mesmo silêncio…

4 comentários:

Vera disse...

Uma prosa que nos leva ao mundo do sonho e onde sentimos a dor do protagonista.

Beijo

Vera disse...

Uma prosa que nos leva ao mundo do sonho e onde sentimos a dor do protagonista.

Beijo

nas asas de um anjo disse...

silencia-te tão somente para poderes pronunciar, sempre, a poesia q tão bem emanas.

andas mt introspectivo...

bjs e boa semana

ilucia disse...

É a distância que silencia o silencio! Ou é a timidez que silencia o silencio!
O melhor é quebrar o silencio
Bjs