domingo, janeiro 25, 2009

Excertos de Uma Despedida II

(personagens: Diogo & Esmeralda)

Esmeralda:

“Nunca esperei que estas palavras chegassem de ti. Entreguei-me totalmente, fui namorada, mulher, amante, fui mãe dos nossos filhos, trabalhadora e dona de casa. Só o tempo, o mesmo que ambos gastamos, mudou as nossas vidas e os nossos rostos. Nunca suspeitei deste final e as tuas palavras não conseguem fazer com que o entenda.
Não sei o que pretendes, nem porque o fazes, apenas te peço que consideres uma ponderação respeitável e assumas o seu resultado, mas, por favor, sê isento na apreciação e sincero na sua divulgação, pelo que o nosso passado merece e pela imagem que ainda tenho de ti.”

2 comentários:

Marta Vasil disse...

Paulo

Estes 2 excertos fizeram-me pensar que o tempo não é o único responsável pelo amarelecimento de uma relação. É factor forte, mas... e a falta de comunicação, quando os indícios desse amarelecimento se começam a mostrar, não será uma janela a fechar-se sem se dar por isso?

MV

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Chega o vento assobiando
fazendo riscos imaginários
como ondas no céu soprando sobre folhas ,
flores, vidas chega a brisa manhã
canta suaves carinhos
envolve numa doce,
fresca brincadeira
lembranças num rastro
manso luz vento , brisa,
vida tocam rios janelas
todas as casas calçadas
soprando sorrisos
lembrando todos os caminhos
colorindo como se fosse carrossel
verdadeiros roda moinhos
deixando correr a vida
como fosse melodia...
(Maria Thereza Neves)

Tenha uma linda semana
Abraços