domingo, janeiro 06, 2008

Eternidade

Há uma música. Oiço-a de fundo.
Soa-me uma voz celestial
perpétua
longe do mundo
a voz… talvez tua
distingue-se do banal.
Nuvens que passam
num gesto profundo
verdades que deslassam
num pequeno segundo.
Não há vida
que não fique perdida
que não acabe no mundo.
Deixo-vos poemas
relíquias de um pobre
de diversos temas.
Deixo-vos o meu amor profundo
junto da minha verdade
...não existe a eternidade.

1 comentário:

T u r t l e M o o n disse...

a eternidade existe na magia da poesia, exalada com/por amor!!!bjs luz e paz