quinta-feira, abril 24, 2008

Transmutar


(Foto de: Andrey Vahrushew)

Abro o meu sorriso para anunciar que cheguei. Para que possam sentir a minha presença. Transmuto-me para partilhar convosco a minha emoção e a mensagem colhida nas paragens que fiz neste percurso de vida. Cheguei até aqui, junto de vós, para que juntos, pudéssemos viajar nesta magna sensação dos sentidos…
Vejam-me nascer, talvez como uma flor indefesa, e ainda assim, reparem que sorrio sem medo de ser feliz. Estou nos campos verdes da natureza, onde as cores pintam as alegrias, e a harmonia está visível entre o silêncio da noite e o calor dos dias…
Vejam-me crescer, talvez como uma ave observadora, que voa sobre vós em círculos e que está pronta para poisar suavemente no vosso ombro, para, em segredo e bem juntinho ao vosso ouvido, deixar poucas e simples palavras… Não tenham medo de tentar porque a felicidade depende apenas de cada um…
Essa é a minha nobre missão, emprestar-vos a imaginação que vos conduz ao mais ínfimo lugar dentro de vós e, nessa consciência sabática, deixar-vos a conclusão que cada pedaço do corpo e da alma é uno…
Vejam-me partir, entre as imagens e as vidas que consegui ser e em que imagino que me viram, quando me transmutei em várias formas, escolhidas por cada um de vós, em que, embora díspares, todas fizeram sentido, todas tinham o mesmo rumo, a mesma mensagem… viram como é possível que, embora todos diferentes, podemos ser iguais?
É hoje que vos digo, que, depois deste nosso encontro, já nada será igual. Partilhei o que tinha para partilhar e em cada coração aberto entrei e deixei por lá um pouco de amor, como uma semente que o tempo verá crescer, que, com o tempo, será parte desse corpo que vive neste mundo aceso… Agora sim, posso partir, porque semeei bem dentro de cada um de vós o melhor que nos faz viver a sorrir…
Regresso ao meu estado, numa última transmutação, para também poder aproveitar o que aprendi nesta viagem conjunta que convosco tive o prazer de realizar.
De sorriso expandido sigo o meu caminho porque sei que vocês estão aptos para seguir o vosso. Olho uma última vez para trás e num aceno separo-me de vós… pensarão que foi um adeus, mas não, o meu aceno incontido foi, e será sempre, de um profundo agradecimento. A todos os que comigo se encontraram nesta partilha de vida o meu eterno obrigado.

4 comentários:

ILDA OLIVEIRA disse...

Bem meu caro Irmão da Palavra, Sentir e Pensar...
Obrigado pela escrita sobre Transmutar...
Ainda ontem te dizia esta Palavra " Transmutar e Partilhar"
Escreve algo com elas Paulo...
Aqui está mais um belo conjunto de Palavras que definem bem o ser que és.
Bem Hajas amigo pela tua caminhada...
Nós vamos nos reencontrando...ou encontrando nas tua Essência...
Beijo

Pedra Filosofal disse...

Somos nós que ganhamos, somos nós que temos de te agradecer profunda e eternamente por partilhares connosco este espaço.

Vera disse...

Este texto está muito especial no seu todo, com frases belíssimas e tocantes... mas há algo que embora não sendo das frases mais bonitas, são palavras profundas e com um imenso Sentir e Verdade:

"Partilhei o que tinha para partilhar e em cada coração aberto entrei e deixei por lá um pouco de amor, como uma semente que o tempo verá crescer, que, com o tempo, será parte desse corpo que vive neste mundo aceso… Agora sim, posso partir, porque semeei bem dentro de cada um de vós o melhor que nos faz viver a sorrir…"

Obrigada por tudo Paulo!
Que bom saber que existes :)

Beijo grande

Ricardo Silva disse...

Obrigado por teres tão bem transmutado simbólicamente em palavras o que sinto...já agora, como é tão belo, dá-me mais força para continuar a fazer o que tenho vindo a fazer, espero contribuir de igual modo para que escrevas cada vez mais com confiança.

Ricardo Silva